quinta-feira, 30 de outubro de 2014

A Redação nos Concursos Públicos | Professora Luciane Sartori

Profª Luciane Sartori
A redação de texto dissertativo tem se tornado um mecanismo muito importante de avaliação e classificação dos concorrentes a concursos públicos. Entretanto, é muito comum os candidatos dedicarem seu tempo de estudos à prova objetiva e deixar a redação por último. Em consequência disso, na maioria das vezes, passam na objetiva e reprovam na redação. Portanto, não dá para subestimá-la, é preciso exercitar.

O que mais compromete o texto e representa a maior dificuldade das pessoas é não saber encadear as ideias e não saber fazer a devida articulação entre elas. Sendo assim, é necessário que o candidato se concentre em empregar conexões adequadas entre as partes do texto. É preciso, ainda, ter cuidado com os erros de linguagem: concordância, regência e pontuação. Dicas: em relação à vírgula, se tiver dúvida, o melhor é não empregá-la; nas provas, normalmente há os textos chamados “textos de motivação” que servem como subsídio para a redação, extraia deles as palavras principais e as utilize em cada um dos parágrafos de desenvolvimento de seu texto, mas nunca copie trecho algum, pois isso é proibido.

Agora o difícil mesmo, para muitos, é começar. Em primeiro lugar, o candidato deve aprender a fazer um projeto de texto a partir da proposta que a banca oferece. É imperativo lembrar-se de que não se está fazendo um concurso de redação, mas uma redação para ser aprovado em um concurso a um cargo público. O ideal, portanto, é ser bastante simples e, se a inspiração não vier, fazer o primeiro parágrafo de forma padrão: apresentação da tese e de três argumentos. Dica: Inicie a prova pela leitura da proposta de redação e, em seguida, faça o projeto do texto da prova discursiva – seu texto tem de ter objetivo, isso faz toda a diferença. Siga para a prova objetiva, para depois fazer a redação. Geralmente, é possível aproveitar as informações contidas no corpo da prova objetiva para produzir o texto.  

INSS: Câmara federal debate situação precária no instituto

Nesta quinta-feira, dia 30, a Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF) da Câmara dos Deputados retoma as atividades e irá debater, além de outros assuntos, a situação precária do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que ainda aguarda a autorização do Ministério do Planejamento para preencher 4.730 vagas por meio de concurso.

De acordo com o 2º vice-presidente da comissão, deputado Mandetta (DEM-MS), o futuro da seguridade social para o próximo governo é de extrema importância. “Nós temos de concluir o trabalho de quatro anos intensos na comissão e discutir melhor previdência social, assistência social e, principalmente, a questão da saúde”, afirmou.

 As reuniões da CSSF foram paralisadas por dois meses devido ao período eleitoral, mas a alta carência de pessoal da autarquia federal é um dos principais assuntos discutidos e a intenção é pressionar o Planejamento para que comande de forma mais rápida o processo de autorização.

O pedido encontra-se desde abril no Departamento de Modelos Organizacionais e Força de Trabalho dos Setores Social e de Desenvolvimento Econômico Produtivo (Desep/Segep). Das 4.730 vagas solicitadas, 2 mil são de técnico do seguro social, 1.150 de perito médico e 1.580 de analista do seguro social.

O presidente da comissão, deputado Amauri Teixeira (PT-BA), já havia se reunido com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, em julho, quando a dirigente se comprometeu de autorizar, pelo menos, 1.500 vagas. Desde então, Teixeira e a CSSF têm cobrado a recomposição do quadro de pessoal do INSS.

Receita Federal: Concurso atrai pela remuneração e estabilidade

A Receita Federal possui pedido de concurso em análise no Ministério do Planejamento para os cargos de analista-tributário e auditor-fiscal, ambos de nível superior, com remuneração inicial de R$9.171,88 e R$15.338,44, respectivamente. A solicitação está desde junho deste ano na pasta, e a expectativa é que a seleção para ambos os cargos seja feita em 2015. O número de vagas não foi informado.

Os cargos de analista e auditor da Receita são abertos a quem possui o ensino superior completo, em qualquer área. As remunerações informadas dos dois cargos incluem o auxílio-alimentação, de R$373, e passarão para R$9.629,42 e R$16.116,64 em janeiro do ano que vem, conforme acordo com o governo federal. As contratações são feitas pelo regime estatutário, que prevê estabilidade.

 No caso de auditor, um novo concurso só poderá ser realizado após o fim da validade do atual ou a convocação de todos os aprovados nessa seleção. A vigência do concurso vai até janeiro do ano que vem, podendo ser prorrogada até julho. A nomeação dos 278 classificados foi autorizada este mês e, segundo o Ministério da Fazenda, será efetivada no próximo mês. De acordo com o ex-presidente do Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais (Sindifisco Nacional), Pedro Delarue, foram pedidas ao Planejamento 2 mil vagas no cargo, porém, com expectativa de aprovação de um número menor.

Para analista, não existe concurso em vigor e até o momento não há informações sobre a quantidade de vagas solicitada para a carreira. Em ambos os casos, a carência de pessoal é determinante para a abertura de nova seleção. A presidente do Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita (Sindireceita), Sílvia Felismino, aponta um déficit de cerca de 9 mil servidores e defende o preenchimento de 1.800 vagas a cada ano.


Polícia Federal: Candidatos aguardam orientação dos organizadores

Aqueles que se inscreveram no concurso da Polícia Federal (PF) para 600 vagas de agente (nível superior) continuam à espera de orientações por parte dos organizadores com relação à sequência da seleção. O concurso foi suspenso por determinação da Justiça para adequação das etapas à participação de candidatos com deficiência.

Na última segunda-feira, dia 27, FOLHA DIRIGIDA questionou a PF sobre as instruções àqueles que se inscreveram na seleção, mas até o fechamento desta edição não houve qualquer indicação. Há uma preocupação, principalmente com relação aos que preencheram o requerimento de inscrição, mas ainda não efetuaram o pagamento da taxa, o que poderia ser feito até o dia 7 do próximo mês. O valor a ser pago é de R$150.

Na quarta, 29, o Cespe/UnB negou que esteja orientando candidatos a não realizarem o pagamento, sob a alegação de que após a retomada do concurso seria aberto novo prazo. Segundo o organizador, os candidatos devem aguardar por novas informações, que serão concedidas por meio da página do concurso na internet.

Atendendo a pedido do Ministério Público Federal (MPF), o juiz federal substituto da 1ª Vara Federal de Uberlândia (MG), Bruno Vasconcelos, determinou a paralisação do concurso até o cumprimento das seguintes medidas: adaptação do exame de aptidão física e do curso de formação profissional às necessidades do candidato com deficiência; a avaliação da compatibilidade das deficiências do candidato com as atribuições do cargo ao longo do estágio probatório, e não durante a perícia médica do concurso; e que as condições clínicas, sinais ou sintomas considerados causa de incapacidade e inaptidão para exercício da função não sejam determinantes para exclusão imediata do candidato com deficiência, devendo a incompatibilidade ser verificada durante o estágio probatório.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

SÚMULAS E OJ’s COM RENZETTI: Honorários Advocatícios | Prof. Rogério Renzetti

Olá, galerinha!

No vídeo dessa semana, o Professor Rogério Renzetti comenta a Súmula 219 de TST que trata dos HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. É tema certo na sua prova, por isso, fique atento!

Vamos ler a Súmula?

SÚMULA 219 - TST
HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. HIPÓTESE DE CABIMENTO (nova redação do item II e inserido o item III à redação) - Res. 174/2011, DEJT divulgado em 27, 30 e 31.05.2011

I - Na Justiça do Trabalho, a condenação ao pagamento de honorários advocatícios, nunca superiores a 15% (quinze por cento), não decorre pura e simplesmente da sucumbência, devendo a parte estar assistida por sindicato da categoria profissional e comprovar a percepção de salário inferior ao dobro do salário mínimo ou encontrar-se em situação econômica que não lhe permita demandar sem prejuízo do próprio sustento ou da respectiva família. (ex-Súmula nº 219 - Res. 14/1985, DJ 26.09.1985)

II - É cabível a condenação ao pagamento de honorários advocatícios em ação rescisória no processo trabalhista.

III - São devidos os honorários advocatícios nas causas em que o ente sindical figure como substituto processual e nas lides que não derivem da relação de emprego.

Agora que já lemos a Súmula, vamos conferir os comentários do Professor Rogério Renzetti:

Eu Já Passei I Conheça a história do Alex Melo de Oliveira

Meu nome é Alex Melo de Oliveira, faço 27 anos mês que vem. Natural de Gurupi-TO, moro a 04 meses em Florianópolis-SC, sou Analista do Seguro Social com formação em Administração no INSS. Aprendi ainda muito cedo a importância do trabalho, tendo que me virar desde criança se quisesse conquistar alguma coisa. Sou de família muito simples, meu pai lavrador e minha mãe auxiliar de serviços gerais, éramos desprovidos de muitos recursos financeiros, meus pais conseguiam apenas o suficiente para manter uma família de 04 filhos. Hoje as coisas estão melhores, mas, apesar de nunca ter faltado o mínimo, já passamos algumas dificuldades, só que graças a Deus nunca nos faltou motivação para conquistar um lugar ao sol. Inicio com esse resumo da minha vida pessoal porquê sei que pode motivar e influenciar muitas pessoas a seguir em frente e não desistir jamais de seus sonhos, e para mostrar que quando se nasce pobre, o estudo é o maior ato de rebeldia contra o sistema. Minha história se confunde com a de muitos guerreiros que existem nesse Brasil afora, principalmente para quem resolveu se aventurar no mundo dos concursos públicos.

Em 2005, com 17 anos, se aproximando a formação no ensino médio, me vi em um grande dilema: o que fazer da minha vida a partir dali. De família humilde eu só tinha uma certeza, que era procurar um emprego pra sustentar os caprichos da juventude, que pra mim não eram tantas, e tentar pagar as mensalidades de um curso superior, pois meus pais não tinham condição de me manter. Pra continuar minha formação eu tinha a opção da Universidade Federal do Tocantins (UFT), que tem um Campus na minha cidade, porém os cursos são integrais, daí não tinha como trabalhar. Então, foi o jeito procurar emprego. Nessa época eu era estagiário secundarista em um Centro Universitário na minha cidade, a Universidade Regional de Gurupi (UnirG), uma autarquia fundacional daquele município. Foi nessa instituição que começou minha história com os concursos públicos.


terça-feira, 28 de outubro de 2014

INSS: Reeleição de Dilma deixa concurso mais perto

Reeleita com mais de 51% dos votos, a presidente da República, Dilma Rousseff, terá, entre as muitas preocupações, de dar a atenção necessária ao quadro do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que luta contra a enorme carência de pessoal. Sua manutenção no poder deve acelerar, inclusive, o processo de autorização das 4.730 vagas no Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão (MPOG), sendo 2 mil de técnico do seguro social, 1.150 de perito médico e 1.580 de analista do seguro social, que está no mesmo setor desde abril.

Nos últimos quatro anos em que governou o país, além dos oito de Luiz Inácio Lula da Silva, seu antecessor e correligionário, destacou-se a política de concursos, especialmente no INSS. Por isso, a presidência da autarquia federal está confiante no sinal verde do Planejamento, visto que as solicitações anteriores foram atendidas.

A necessidade do instituto é de 5.054 servidores, no período entre 2010 e abril de 2013, sendo 3.253 somente na carreira de técnico do seguro social, segundo nota técnica da própria autarquia enviada ao Ministério do Planejamento, havendo ainda mais de 10 mil servidores com possibilidade de aposentadoria. Esse quantitativo, no entanto, já deve ter aumentado, o que faz ser ainda mais necessária a autorização. Oficialmente, o INSS não sabe dizer quando o sinal verde será dado, mas a expectativa é de que isso ocorra já no início de 2015.

Quem pressiona a pasta a autorizar imediatamente o concurso é o Tribunal de Contas da União (TCU), que fez, recentemente, uma auditoria recomendando sua realização. Assessores da presidência do INSS afirmaram ainda que a entrada do maior órgão de fiscalização do país no processo deve ser fundamental para uma maior celeridade nos próximos meses.

Preparação em dia - O cargo de técnico exige o nível médio e tem remuneração de R$4.400,87, incluindo auxílio-alimentação de R$373 e a gratificação de atividade executiva e de desempenho de atividades do seguro social.

A função de perito médico, por sua vez, requer graduação em Medicina e inscrição no conselho regional da categoria, e tem rendimento de R$10.056,80, incluindo a gratificação de desempenho de atividade de perícia médica previdenciária.

Promoção 7 Anos do EVP!


Conheça a promoção de 7 anos do EU VOU PASSAR!!!


Já há duas pessoas concorrendo! A eles, por enquanto, os dois primeiros prêmios estão garantidos... MAS VOCÊ PODE MUDAR ISSO! É só convidar mais gente do que eles!!! Agora que a Eleição acabou, você pode "meter bala" nos convites! Vamos lá! Ipads e Laptops para você, além de vários cadastros de UM ANO do EVP! É a sua chance! SÓ DEPENDE DE VOCÊ!!!

Vejam o recadinho que o Professor João Antônio gravou para você:

Dica do RR: Sucessão de contratos por prazo DETERMINADO.


PROCESSO CIVIL: Princípio da Disponibilidade | Professora Sabrina Dourado

Olá, galerinha!

Vamos iniciar nosso dia com uma dica muito bacana de Processo Civil com a nossa querida Professora Sabrina Dourado: Princípio da Disponibilidade. Anota aí:


Polícia Federal: Justiça Federal suspende concurso para agente

A Justiça Federal suspendeu o concurso da Polícia Federal (PF) para 600 vagas de agente aberto no mês passado para adequação do processo à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), do ano passado, que determinou a reserva de vagas para pessoas com deficiência nos concursos do departamento. A União pode recorrer. A suspensão já foi comunicada nos sites da PF e do Cespe/UnB (organizador). Ainda não foram informadas, no entanto, quais providencias serão tomadas, sendo comunicado apenas que novas informações serão divulgadas em data oportuna.

Conforme decisão com data do último dia 23, o juiz federal substituto da 1ª Vara Federal de Uberlândia (MG), Bruno Vasconcelos, determinou a paralisação até o cumprimento das seguintes medidas: adaptação do exame de aptidão física e do curso de formação profissional às necessidades do candidato com deficiência; a avaliação, no curso do estágio probatório, da compatibilidade das deficiências apresentadas pelo candidato com as atribuições do cargo (e não durante a perícia médica realizada pela equipe multiprofissional, que deve apenas atestar a condição de pessoa com deficiência); e que as condições clínicas, sinais ou sintomas previstos como causa de incapacidade e inaptidão para exercício da função, não sejam determinantes para exclusão imediata do candidato com deficiência, devendo a incompatibilidade ser aferida durante o estágio probatório.

A decisão atendeu a pedido do Ministério Público Federal (MPF), que sustentou que, apesar de reservar vagas para pessoas com deficiência, o edital divulgado pela PF “na prática, frustra a concretização desse direito, uma vez que está explicito nas disposições que não haverá adaptação do exame de aptidão física, do exame médico, da avaliação psicológica ou do Curso de Formação Profissional às condições do candidato, com deficiência física ou não. ” O concurso, cujo prazo de inscrição foi encerrado no último domingo, dia 26, tem provas objetivas e discursivas marcadas para 21 de dezembro, previsão que deve ser frustrada em função da suspensão. Além das provas escritas (em todas as capitais), a seleção compreende avaliações física (testes de barra fixa, de impulsão horizontal, de corrida de 12 minutos e de natação), médica e psicológica, curso de formação profissional (em Brasília), além de investigação social. A validade da seleção será de um mês, podendo dobrar.

Banco do Brasil: Interessados devem iniciar estudos, diz especialista

Uma das evidências de que o Banco do Brasil (BB) planeja concursos para escriturário em 2015 foi a informação de que voltará a cobrar Inglês em suas provas, o que não ocorria desde 2003. Além disso, as últimas seleções da empresa terão o prazo de validade encerrado, o que obriga o BB a realizar novos concursos, para manter o cadastro de reserva válido. Com esse cenário, portanto, quem sonha com uma vaga no Banco do Brasil já deve iniciar a preparação.

O especialista em concursos Carlos Guerra afirma que o estudo com antecedência para seleções tão concorridas, como a do BB, é fundamental para alcançar aprovação. Ele ressaltou que essa consciência por parte dos futuros candidatos é de extrema valia.

“Existem dois grupos de concurseiros. O primeiro é composto por aqueles que estão estudando para fazer as provas agora em novembro ou dezembro, como é o caso do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) e da Petrobrás, por exemplo. O segundo é formado por quem fará as provas em 2015 e, com certeza, deve estar com a preparação em dia, afinal, não falta muito tempo para o próximo ano. Na verdade, restam apenas pouco mais de dois meses”, assinalou.

Guerra orientou ainda para o estudo, e acredita que neste momento inicial da seleção, quando o banco ainda não divulgou o edital e sequer informou a organizadora, o ideal é basear-se nos concursos já realizados. “No caso do Banco do Brasil, não faltam provas anteriores. Essas avaliações devem ser muito bem estudadas e, apesar de o Inglês voltar a ser cobrado e mudanças ocorrerem na estrutura do concurso, 70% ou 80% será semelhante. ”

No Rio de Janeiro, o concurso de escriturário realizado em 2013 terá o prazo expirado em 26 de setembro de 2015, e a empresa tem o costume de publicar o edital três meses antes do vencimento do último concurso, o que faz ser possível a divulgação de um novo edital para a cidade em junho ou julho.

Inmetro: Assinado contrato com IDECAN. Até R$16.212

Mais um entrave foi removido para a publicação dos três editais do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro): o contrato com o organizador, o Idecan, já foi devolvido à autarquia, que também já assinou o documento, de acordo com o responsável pela Coordenação-Geral de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas (Cogep), Paulo Roberto Rodrigues. A informação foi dada nesta segunda-feira, dia 27.

A expectativa agora é que o extrato do contrato seja publicado nos próximos dias no Diário Oficial da União (DOU), possibilitando que os editais sejam divulgados na sequência. O cronograma, segundo o coordenador do Inmetro, ainda não foi fechado, o que deverá ocorrer até a próxima sexta-feira, dia 31. Com isso, é bem possível que as normas do certame sejam publicadas na primeira semana de novembro.

 Quanto às avaliações dos participantes, o responsável pela Cogep adiantou que as provas deverão ser realizadas no final de janeiro de 2015 ou no início do mês seguinte. Ainda segundo ele, outra parte que compõe os três editais também está prestes a ser finalizada: o conteúdo programático.

O certame será, inicialmente, para 80 vagas, sendo 56 para o Rio de Janeiro, 12 para o Rio Grande do Sul e outras 12 para Goiás. No nível médio, serão 19 oportunidades para assistente executivo, e no médio/técnico, nove já estão destinadas aos técnicos. No caso dos graduados, haverá 39 vagas de analista, 11 de pesquisador-tecnologista e duas de especialista (carreira que exige diploma de doutorado há, no mínimo, dez anos).

O Inmetro propicia, atualmente, remunerações de R$3.189,10 para os assistentes e técnicos, R$7.248,77 para os analistas e pesquisadores e R$16.212,06 para os especialistas. Em todos os ganhos, já há o acréscimo do auxílio-alimentação de R$373. Como as contratações, contudo, só ocorrerão a partir do ano que vem, é possível que todos os valores sofram reajuste.

Novidade boa para o Leitor do Blog SE JOGA, GALERA!


Galerinha, trazemos boas novas para vocês!

O nosso cupom de desconto com o CONCURSO VIRTUAL aumentou!!! Agora, qualquer curso adquirido no portal do CONCURSO VIRTUAL, utilizando o nosso cupom de desconto (SEJOGA), o aluno obterá 15% de desconto no valor total de compra!!! Isso mesmo!!! 15% de desconto!!! Que maravilha, hein?!

E como funciona o cupom de desconto?

Simples! Adicione o curso desejado no carrinho de compras, insira o cupom SEJOGA e valide antes de finalizar a compra. Confira o valor do desconto e pronto! Agora já pode iniciar seus estudos!!!

O quê você está esperando? Comece já a estudar com o Concurso Virtual e aproveite o desconto! Acesse www.concursovirtual.com.br e bons estudos!

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

RUMO AO INSS: Dica de Direito Previdenciário | Prof. Italo Romano

Olá, galerinha!!!

Vamos iniciar nossa semana com um vídeo muito bacana do Projeto Rumo ao INSS no qual o Professor Italo Romano traz uma dica importantíssima sobre Direito Previdenciário. Vamos conferir?



Conforme solicita o professor, vamos fazer a leitura do art. 195 da CF/88:

Art. 195. A seguridade social será financiada por toda a sociedade, de forma direta e indireta, nos termos da lei, mediante recursos provenientes dos orçamentos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, e das seguintes contribuições sociais:

I - do empregador, da empresa e da entidade a ela equiparada na forma da lei, incidentes sobre:

a) a folha de salários e demais rendimentos do trabalho pagos ou creditados, a qualquer título, à pessoa física que lhe preste serviço, mesmo sem vínculo empregatício;
b) a receita ou o faturamento;
c) o lucro;

DIREITO PREVIDENCIÁRIO: Contribuição do MEI

Olá, galerinha!

Muitos alunos confundem a contribuição previdenciária do MEI e hoje nós vamos eliminar para sempre essa dúvida.

O MEI – Microempreendedor Individual é aquele que exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou circulação de bens ou serviços que tenha auferido receita bruta, no ano-calendário anterior, de até R$ 60.000,00, optante pelo Simples Nacional ou sem impedimentos para optar por essa forma simplificada de recolhimento de impostos e contribuições.

O MEI é enquadrado como contribuinte individual e contribui para Previdência Social aplicando 5% sobre o salário mínimo (Sistema Especial de Inclusão Previdenciária). Desta forma, ele não tem direito a aposentar-se por tempo de contribuição. Caso queira ter direito a tal benefício deverá complementar a contribuição acrescida de juros moratórios.

MEI (CONTRIBUINTE INDIVIDUAL) à 5% x SALÁRIO MÍNIMO

O MEI, em regra, não pode contratar empregados. Entretanto, caso observe alguns requisitos, é permitida a contratação:

- Apenas 1 empregado;
- Salário do empregado igual a salário mínimo ou piso da categoria;
- Retenção e Recolhimento da contribuição do empregado a seu serviço;
- Elaboração da GFIP declarando o seu empregado.

A contribuição patronal das empresas é 20%. Para o MEI esta alíquota é reduzida, devendo o mesmo contribuir com 3% sobre salário de contribuição do empregado.

Em resumo: